terça-feira, 5 de setembro de 2017

Manhã de Espiritualidade

Na manhã do dia 03 de setembro de 2017, os coordenadores paroquiais e foranias se reunirão para a Manhã de Espiritualidade no Salão Nossa Senhora das Graças. 
O encontro começou às 08h00 da manhã e os coordenadores foram convidados a rezar o terço, seguindo os passos de Maria, seguido de uma breve reflexão. 




Em seguida, Padre Antonio Torres fez uma catequese com presentes ao trabalhar o Magnificat e encerrou o momento de espiritualidade cantando um música gregoriana.



video

Padre Lourivaldo Gonçalves, assessor diocesano da Catequese fez a oração final.




Segue o material que foi utilizado no encontro:

https://drive.google.com/open?id=0B6OSP35ThX6sLVNFNnR2cWR4UDg

sábado, 26 de agosto de 2017

18ª Concentração e Missa diocesana da Catequese

A 18º concentração diocesana dos catequistas ocorreu no dia 26 agosto de 2017 na Catedral Sagrada Família, município de São Paulo seguida pela Santa Missa que foi presidida pelo Bispo diocesano, Dom Luiz Antonio Guedes.

Durante a missa houve o encerramento da visita da imagem peregrina Nossa Senhora Aparecida, que visitou todas as paróquias de nossa amada diocese nos últimos dois anos.




Os catequistas vieram com a camiseta de suas respectivas foranias, formando assim uma grande união diocesana. As cores de cada Forania:
Campo Limpo: Vermelho.
Morumbi: Laranja.
M' Boi Mirim: Amarelo.
São Luís-CR: Branco.
São José-CR: Branco.
Embu das Artes: Azul.
Mirim Guaçu: Preto.
Itapecerica da Serra: Verde.
Taboão da Serra: Lilas.


Segue o link para baixar o XV Boletim da Catequese, que foi distribuído na Missa dos Catequistas. https://drive.google.com/open?id=0B6OSP35ThX6sQ2pSR1dXQ1Z5S3c


Conselho Diocesano de Pastoral Ampliado - CDP

Na manhã do dia 26 agosto, no Salão da Catedral Sagrada Família, houve o CDP Ampliado, em que todas as coordenações de pastorais e movimentos diocesanos, além dos delegados paroquias foram convidados a estar neste encontro.
O Padre Marcos Patrício, coordenador geral de pastoral apresentou o Padre Lourivaldo como novo assessor catequético.
Após a apresentação, Cleber Gois, coordenador diocesano de catequese, Padre Lourivaldo Gonçalves, assessor catequético e Padre Fausto de Oliveira assessor da Liturgia apresentaram o documento 107 da CNBB:  INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ:ITINERÁRIO PARA FORMAR DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS. 
O documento foi apresentado da seguinte forma:
I - Os documentos que geraram o documento 107.
II - Catecumenato, processo de Iniciação à Vida Cristã nos séculos II, III e IV.
III - Documento 107 da CNBB.
IV - Desafios da Igreja Particular de Campo Limpo (Metas do 6º Plano Diocesano).
V - Roteiro do catecumenato 2018/2019. Explicação passo a passo.
IV - Conclusão.




Fotos: Elis Rodrigues, Rejane Bezerra, Pe. Lourivaldo Gonçalves, Lucilene Sousa, Antonio Bezerra Nilo, Lu Santos, Luiz Casaf, Gerson Mota e Cleber Gois.

sábado, 5 de agosto de 2017

31º Assembleia Bíblico Catequética do Regional Sul 1 da CNBB

Por Cleber Rafael Gois, coordenador diocesano da catequese de Campo Limpo, São Paulo-SP. 

Nos dias 28 à 30 de julho de 2017, aconteceu a 31ª Assembleia Bíblico Catequética do Regional Sul 1 da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) no Centro de Convivência Nossa Senhora do Bom Conselho, Jundiaí, interior paulista. Neste encontro, houve 43 dioceses reunidas, dentre elas a Diocese Particular de Campo Limpo que estava representada pela Geni Cremasco (coordenadora do CFBC), Welder Cabral (Professor do CFBC), Rosana Mancini (Professora do CFBC) e o Cleber Gois (coordenador diocesano da catequese). A assembleia teve como tema: Novas portas para o anúncio do Evangelho, e como lema: "Um coração transbordante de alegria, paz e gratidão" (Lc 1,46).
No primeiro dia (28), a assembleia teve abertura com a memória dos 30 anos de assembleias anuais da catequese, presidido pela coordenadora do Sub Regional São Paulo 2, Maria Cristina (Diocese de Guarulhos). Após isso, o Padre Paulo Gil, coordenador geral da Regional Sul 1 (Arquidiocese de São Paulo) fez a acolhida aos presentes. Em seguida, o Padre Fábio Modesto fez um momento celebrativo com os catequistas e coordenadores diocesanos, onde fizemos um momento de oração através do terço, a partir de Maria.




No sábado (29), cada coordenador foi convidado a fazer sua oração pessoal e em silêncio a partir da Nossa Senhora numa trilha. O Objetivo era fazer um caminho inverso, começando de Pentecostes até o anúncio do anjo, evento a partir do qual foi desenvolvido a base de toda a formação da 31ª Assembleia, falando de Maria como um instrumento de continuidade do Projeto de Deus na Iniciação à Vida Cristã.. 

5ª Estação: "Todos ficaram cheios do Espírito Santo" (At 2,4a).
4ª Estação: " Junto à cruz de Jesus estava de pé sua mãe" (Jo 19, 25).
3ª Estação: "Sua mãe disse aos que estavam servindo:  Fazei o que Ele vos disser" (Jo 2,5).
2ª Estação: "Ela deu à luz a seu filho primogênito envolvendo-o em faixas" (Lc 2,7).
1ª Estação:  "O anjo do Senhor anunciou a Maria e Ela concebeu do Espírito Santo" (Lc 1,26-38).
Durante o dia, teve as seguintes palestras, conforme as estações:
Primeira colocação: Novas portas para o anúncio do Evangelho (Assessor: Padre Roberto Bocalete)
Segunda colocação: Como Maria queremos envolver em faixas: O Cuidado com a Boa Nova que anunciamos e com aqueles à quem anunciamos. (Assessor: Padre Marcelo Machado).
Terceira colocação: Fazei tudo o que Ele vos disser: Novas portas para o anúncio do Evangelho. (Assessor: Seminarista Tiago Barbosa).
Quarta colocação: Diante das portas da dor e do sofrimento, permanecer a eles (Assessor: Padre Vladimir Barbosa Hergert)
A noite, o Padre Antonio Marcos Depizzoli, assessor da Comissão Episcopal para Animação Bíblico-Catequético da CNBB apresentou a Caminhada Nacional da catequese. Explicou como foi preparado o  documento 107, lançado este ano na 55ª Assembleia dos Bispos em Aparecida.
O Bispo referencial da catequese no Regional Sul 1, Dom Tomé (Diocese São José do Rio Preto), presidiu a missa e passou todo o dia no encontro.

No domingo,  o Padre Paulo Gil fez a quinta colocação: Como os discípulos e Maria em Pentecoste queremos ficar repletos do Espírito Santo.
Após isso, todos se dividiram em sub regionais:
O Regional Sul 1 são todas as dioceses do Estado de São Paulo e é subdividido em oito sub-regionais:
RP1 - Ribeirão Preto (Dioceses de: Franca, Jaboticabal, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista).
RP2 - Ribeirão Preto 2 (Dioceses: Jales, São José do Rio Preto, Catanduva e Barretos).
Campinas: (Dioceses: São Carlos, Piracicaba, Limeira, Campinas, Amparo e Bragança Paulista).
Botucatu: (Dioceses: Presidente Prudente, Marília, Araçatuba, Lins, Bauru, Assis, Ourinhos e Botucatu).
SP-1 - São Paulo 1 (Arquidiocese de São Paulo).
SP-2 - São Paulo 2 (Dioceses: Osasco, Campo Limpo, Santo Amaro, Santo André, Santos, Mogi das Cruzes, Guarulhos e São Miguel Paulista).
Aparecida: (Dioceses: São José dos Campos, Caraguatatuba, Taubaté, Aparecida e Lorena).
Sorocaba: (Dioceses: Itapeva, Itapetininga, Sorocaba, Jundiaí e Registro).
Cada Sub-regional avaliou a assembleia como todo, o qual todos elogiaram esse formato. Também  o SP-2 fez sugestões da Escola do Regional para serem aos fim de semana, separada da Assembleia. Após isso, firmaram que em 2018 todas as dioceses do sub-regional irão trabalhar o documento 107 da CNBB a nível diocesano.
Todos os sub-regionais se encontraram na Capela, com cada pessoa com uma vela na mão para a chama do encontro fosse levada as suas dioceses..

COORDENAÇÃO DO SP-2: 



REGIONAL SUL 1 - FOTOS COM TODOS OS PRESENTES:






Como tudo continuou com Maria de Nazaré
Fotos: Imaculada Cintra e Cleber Gois. 





sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Perfil do Catequista - Parte II

Por Welder Cabral, Professor do Curso de Formação Básica para Catequistas (CFBC) da Diocese de Campo Limpo, São Paulo-SP

Para além da competência na formação doutrinal pessoal há outro elemento que não pode ser excluído da vocação do catequista. De caráter fundamental para que a formação doutrinal tenha significado salvífico é a Vida de Oração. Eis sua maior especialidade, o convívio com Deus. O catequista não é simples professor que ensina conteúdos, é amigo de Deus (Jo 15, 13-15), pois conhece intimamente seus mistérios.
Conhece a pessoa de Jesus Cristo e não simplesmente de ouvir falar, mas de ver (Jó 42,5; 1Jo, 1-3) assim como Moisés que tratava com Deus face a face (Dt 34, 10). A amizade é essencial, por ela podemos nos aproximar de Deus, por meio do encontro com Jesus que temos acesso a vida íntima divina. Essa é a noção bíblica de conhecimento, a intimidade (Gn 4,1. 25; Lc 1,34). Essa amizade conduz a verdadeira felicidade, por saber que é amigo de Jesus não se incomoda de conduzir outros a mesma amizade. São João Batista deve ser esse modelo, pois não retém para si seus discípulos, mas os guia até Jesus. É ele que salva, Ele é o esposo (Jo 3,28-30).
"O catequista coloca-se na escola do Mestre e faz com ele uma experiência de vida e de fé. alimenta-se das inspirações do Espírito Santo para transmitir a mensagem com coragem, entusiasmo e ardor. 
"Esta é a vida eterna: que conheçam a ti, o Deus único e verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que enviastes" (Jo 17,3) Nutre-se da Palavra, da vida de oração, da Eucaristia e da devoção mariana. Falará mais pelo exemplo do que pelas palavras que profere (Cf CR 146). A verdadeira formação alimenta a espiritualidade do próprio catequista, de maneira que sua ação nasça do testemunho de sua própria vida" (DNC 264).
Sem a Vida de Oração a vocação do catequista torna-se estéril. Tudo o que faz não frutifica, pois confia apenas em si, no final torna-se um ídolo de si mesmo, e por não ser reconhecido, a amargura invade seu ser até o ponto de abandonar a vocação, ou ainda pior, conduzir a perdição as pessoas que lhe foram confiadas. 


Referências:
Bíblia
DNC (Diretório Nacional de Catequese)


segunda-feira, 24 de julho de 2017

Perfil do Catequista - Parte I

Por Welder Cabral, Professor do Curso de Formação Básica para Catequistas (CFBC) da Diocese de Campo Limpo, São Paulo, SP. 

Catequista, uma vocação antiga e de grande responsabilidade na Igreja. É responsável por transmitir (1 Cor 15,3) o conteúdo da fé àqueles que estão iniciando sua adesão a Igreja. Infelizmente com o decorrer dos séculos e o aumento explosivo de novos membros, o catequista acabou perdendo características essenciais em sua vocação.
A competência pessoal é a primeira delas. Ele deveria ser um especialista no conhecimento da Fé Católica. O catequista é um discípulo que ouve a Deus na Igreja; que estuda a Palavra de Deus; que conhece a Tradição e obedece ao Magistério. Em seguida permite que o Espírito Santo o torne capaz de transmitir de forma sistemática esse conhecimento.
O que exige esforço e desgaste, intelectual e físico, para ser competente nesse apostolado. E por isso mesmo não se pauta por achismos, especulações ou novidades contraditórias a Sã Doutrina. Assim como um garimpeiro buscando ouro, faz sabiamente o discernimento em cada época do que realmente provém da Vontade de Deus daquilo que é simples distorção venenosa das insinuações da serpente ( 2 Tm 4, 2-4).
"Assumir a missão catequética é cuidar com esmero de sua autoformação. Somos pessoas em processo de crescimento e de aprendizado, deste a infância até a velhice. As ciências teológicas, humanas e pedagógicas estão sempre em evolução e progresso. Daí a necessidade de uma formação permanente, assumida com responsabilidade e com perseverança. A catequese, em qualquer ambiente, "precisa de pessoas que buscam preparação e estejam dispostas a aprender sempre mais, para dar um testemunho convincente de fé. Não basta boa vontade, é preciso uma atualização dinâmica [...]. Requer, também, uma grande intimidade com a Palavra de Deus, com a doutrina e a reflexão da Igreja" (DNC 267).
Urge aos vocacionados atuais não caírem na armadilha da vaidade do nome, mas na humilde competência incansável do exercício do chamado. Que este nome não seja causa de escândalo, mas sim de salvação a tantos que estão começando a Vida Cristã.
Aquele que sentou-se como discípulo aos pés do Mestre Jesus é enviado com esta nobre missão, educar na Fé. 




sábado, 1 de julho de 2017

CURSO DE FORMAÇÃO BÁSICA PARA CATEQUISTAS - 1º MÓDULO

O primeiro módulo do Curso de Formação Básica para catequistas (CFBC)  se iniciou no dia 04 de Março e foi concluído no dia 24 de junho de 2017 em suas duas unidades: I Campo Limpo (Centro Pastoral Sagrada Família) e II  M' Boi Mirim (Sub-cúria - Centro Missionário e Pastoral Pe. Luiz Jorge Catóia). No primeiro semestre os alunos/catequistas estudaram as seguintes disciplinas: Diretório Nacional de Catequese (DNC), Psicopedagogia catequética, Antigo Testamento e Metodologia catequética.

sábado, 24 de junho de 2017

METODOLOGIA - Catequese Junto com a Pessoa com deficiência


Segue em anexo o material da aula de metodologia do Curso Formação Básica para Catequistas (CFBC), dentro da disciplina de metodologia Junto com a pessoa com Deficiência.

https://drive.google.com/open?id=0B6OSP35ThX6sUTczdXhoWk9mdzA